O controle da paisagem urbana – “rolêzinho”: jovens que incomodam

The control of the urban scenery – “rolêzinho”: youngsters who cause uneasiness

Rafael Lopes de Sousa*
Álvaro Cardoso Gomes**
Luiz Antonio Dias***





     

Resumo:

Neste artigo analisamos paisagens em transição e momentos de rupturas, que se evidenciam nas intervenções e questionamentos que os jovens da periferia trazem à tona, a fim de encaminhar propostas e rediscutir a agenda urbana da contemporaneidade. A análise decorre da problematização do caráter simbólico ou estratégico que o “rolêzinho” e sua trilha sonora – o “funk ostentação” – desempenham como alternativa de cultura e lazer para os jovens periféricos. Considerando tal perspectiva investigamos o incômodo que o aparecimento cênico dos “rolêzinhos” despertou nos centros iluminados da cidade e o paradoxal fascínio que sua trilha sonora – o “funk ostentação” – despertou na classe média.
Palavras Chave: cidade, jovens, rolêzinhos, urbano, música, incômodo.



Abstract:

In order to address proposals and to debate the urban agenda of contemporaneity, sceneries in transition and moments of ruptures, which emerge through questionings and interventions that black young people from the rundown areas come up with, are analyzed in this current paper. This analysis results from the discussion of the symbolic or strategic role that "rolêzinho" (slang for hanging out with friends) and its soundtrack – “funk ostentação” - play as a survival alternative to peripheral young people. Considering this perspective, we will investigate the discomfort that the scenic appearance of "rolêzinhos" aroused in some prominent areas of the city as well as the paradoxical fascination that its soundtrack - "funk ostentação" - has raised in the middle class.
Keywords: city, youngesters, “rolêzinhos”, urban centers, music, uneasiness.





Para citar essa obra:
SOUSA, Rafael Lopes de; GOMES, Álvaro Cardoso; DIAS, Luiz Antonio; O controle da paisagem urbana – “rolêzinho”: jovens que incomodam. In: RUA [online]. Volume 25, número 1 - e-ISSN 2179-9911 - Junho/2019. Consultada no Portal Labeurb – Revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade.
http://www.labeurb.unicamp.br/rua/


DOI: https://doi.org/10.20396/rua.v25i1.8654444

--------------------------------------------------------------------

*Professor do programa de Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Santo Amaro (UNISA- São Paulo). ORCID: https://orcid.org/.0000-0001-8018-8530 . E-mail: canoieros2008@gmail.com.
**Professor Titular da USP e Coordenador do Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Santo Amaro (UNISA- São Paulo). ORCID: https://orcid.org/.0000-0001-9546-1683. E-mail: alcgomes@uol.com.br.
***Professor do deptº. de História da PUC/SP, professor do programa de Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Santo Amaro. ORCID: https://orcid.org/.0000-0001-8834-442x. E-mail: luizhistoria@yahoo.com.br.